O Jornal ZEBRA é um jornal online produzido pelo Coletivo ZEBRA. Dedica-se totalmente ao CAMINHAR.

ORGANIZA-SE A PARTIR DE CINCO SECÇÕES:

ANDAR A PÉ MUDA TUDO: São muitas as razões para andar a pé e outras tantas as motivações.

A ABRIR CAMINHO: O que a Ciência nos explica sobre os benefícios de andar a pé. São cada vez mais robustos os argumentos.

PAUSA PARA FALAR. Com tempo, no ritmo da passada, as histórias dos caminhantes e dos grupos de amigos, de conhecidos, de vizinhos, de colegas de trabalho e de pessoas que têm um qualquer interesse ou característica em comum, e que juntaram aos seus dias o prazer de caminhar. Na cidade, no campo, nos jardins…

ACELERADORES: Para inspiração dos empreendedores e inovadores sociais, os projetos que mobilizam os bairros, as cidades, os países onde se instalam e que gostávamos de ver crescer como iniciativas globais.

MARCADORES: Trazemos também as narrativas sobre o andar a pé da literatura e das outras artes.

 

 SOBRE NÓS

 

O Coletivo ZEBRA é uma organização da sociedade civil.
Existe para promover o andar a pé como atividade regular, natural, gratuita, necessária, tonificante, saudável, livre e libertadora, gratificante.

Somos uma cooperativa de inovação social.

Saber mais sobre o Coletivo ZEBRA – Caminhar muda tudo, CRL.

 

EXISTE UMA MULTIPLICIDADE DE RAZÕES POSSÍVEIS PARA O ANDAR A PÉ E QUE QUEREMOS ENCORAJAR:

– Simples deslocação (ida para emprego, compras, escola, casa)

– Saúde (prevenção ou profilaxia de doenças decorrentes do sedentarismo: cardiologia e problemas circulatórios, hipertensão, diabetes, obesidade, Parkinson, Alzheimer, depressão…);

– Bem-estar (uma forma de atividade física relaxante que permite a meditação e o auto-conhecimento; que promove a criatividade);

– Sociabilidade (razão para encontrar outros, promover diálogo, quebrar a solidão; ou para apreciar a solidão; ou para fazer telefonemas com privacidade);

– Espiritualidade (meditação, mindfulness, peregrinações, romarias e caminhadas votivas);

– Desporto (caminhadas, trecking, montanhismo);

– Competição (marcha, corridas, maratonas);

– Turismo (percursos pedestres, rotas temáticas);

– Deambular (o andar sem razão nem necessidade ou propósito, passear, vaguear);

– Inspiração e criatividade (procurar e gerar ideias, resolver, ver melhor, ver mais longe…)

 

O nome ZEBRA surge pela associação às passadeiras, que regulam a prioridade dos peões.

É uma linguagem urbana, mas o facto de nos referirmos a zebra, e não a passadeira, remete para um mundo natural, selvagem, onde o andamento faz parte integrante do quotidiano.

É também uma referência às limitações que hoje em dia o andar tem na cidade: sujeito a horários, locais próprios, condicionado por fatores exteriores à nossa vontade.

artigo anterior
artigo seguinte

Pin It on Pinterest